Categoria: Psicologia Social

As áreas de atuação do psicólogo esportivo

“O que um psicólogo faz na área de prática esportiva e exercício físico?” costuma ser uma pergunta recorrente as pessoas que não a conhecem.   Como já fora dito anteriormente, não é uma área exclusiva dos psicólogos, sendo inserida na conhecida ciência do esporte, tratando de uma interdisciplinaridade com outros profissionaisContinuar…

A verdade nos estereótipos

Os cientistas sociais os rejeitam, mas em vez de serem universalmente errôneos, estereótipos frequentemente têm um fundamento na realidade.     Há boas razões para a má reputação dos estereótipos, que podem dar vida a propaganda malevolente acerca de grupos: representação desproporcional de afroamericanos na mídia como criminosos, mulheres comoContinuar…

Cooperação e cognição distribuída

  Não é novidade para quem tem alguma familiaridade com psicologia cognitiva o fato de as pessoas não serem lá tão racionais. É verdade que a humanidade produziu verdadeiras forças da natureza, como Newton e Bach. Mas de uma perspectiva mais geral, e menos apaixonada, a verdade sobre nós éContinuar…

Irracionalidade onipresente

  Uma das mais importantes lições que a psicologia nos deu, senão a mais importante, é esta: a ignorância é nosso estado natural por direito. É o produto direto de como nossa mente trabalha. São toneladas de experimentos realizados no correr das últimas décadas confirmando de forma exaustiva que asContinuar…

O pensamento e seus vícios

  A proverbial afirmação de que o homem é um animal racional não pode ser levada tanto a sério. Já a afirmação  de que errar é humano não poderia ser mais verdadeira. Indo direto ao ponto, nossa característica mais peculiar não é — ora vejam! — a racionalidade, mas a crendice! SomosContinuar…

Pós-verdade e a era da (des)informação

  A palavra da vez é “pós-verdade”. O substantivo foi eleito pela Oxford Dictionaries como a palavra do ano de 2016. Trata-se de um neologismo para a situação em que fatos e análises especializadas têm menos influência na formação da opinião pública do que o apelo a emoções, a crendices pessoaisContinuar…

Sinalização custosa

  Se algo não faz sentido, a sua hipótese de referência deve ser “sinalização custosa”. A ideia central tem mais de um século, mas novas rugas merecem maior exposição. O “consumo conspícuo” de Veblen explicou por que as pessoas fumam notas de $100 como um sinal custoso da sua riqueza.Continuar…

O efeito das memórias e informações falsas

  O âmbito jurídico, assim como outros âmbitos de atuação do psicólogo, constitui uma área de fazeres em que vidas humanas são definitivamente mudadas. Seja por intervenção na forma do poder estatal, que integra obrigações e restrições forçosas e legitimadas, ou por abonos, alívios e restituições, os sujeitos que seContinuar…