Categoria: Filosofia

As drogas e o sentido da vida

  Tudo que fazemos é pelo propósito de alterar a consciência. Formamos amizades para que possamos sentir certas emoções, como amor, e evitar outras, como solidão. Ingerimos alimentos específicos para desfrutarmos da sua presença em nossas línguas. Lemos pelo prazer de pensar os pensamentos de outra pessoa. A cada momentoContinuar…

Subjetividade, não subjetivismo — uma distinção crucial

  Quando questionados quanto à produção científica e tecnológica da psicologia, alguns psicólogos e estudantes de psicologia — frente à dificuldade de se dar uma resposta rápida para tal situação — acabam por alegar que a psicologia é de alguma forma uma ciência especial, diferente das outras, pois ela estudariaContinuar…

Em que sentido faz sentido falar de livre-arbítrio?

  Cá está uma ideia. Talvez seja como dizem, e de fato não seja possível falar sobre livre-arbítrio dentro do determinismo. Mas certamente não se poderia falar de liberdade fora do determinismo.   O determinismo é um quadro de mundo em que, grosso modo, os estágios anteriores da realidade determinamContinuar…

A consciência é irredutível

  Em A Redescoberta da Mente, John Searle fornece argumentos contra a tentativa de reduzir a consciência a meros fenômenos físicos. O autor começa por retomar o argumento do texto “what is like to be a bat”, de Thomas Nagel. A ideia central é que, embora tenhamos o conhecimento daContinuar…

Necessidade de desfecho

  O poeta John Keats cunhou o termo capacidade negativa para se referir à habilidade de permanecer contente com meio-conhecimento “sem nenhuma busca irritável por fatos e razões”. O oposto da capacidade negativa é conhecido pelos psicólogos como necessidade de desfecho (NDD). A NDD se refere a uma aversão à ambiguidade e à incerteza, e a um desejo porContinuar…

A falácia mereológica da neurociência é uma chatice analítica da filosofia?

Há pouco mais de dois anos, ao apresentar um pequeno trabalho intitulado “A falácia mereológica da Neurociência” no XIII Congresso Brasileiro da SBNp, eu fui questionado sobre se os problemas filosóficos, sobretudo os conceituais, são realmente relevantes para a Neurociência. “Afinal”, perguntaram-me, “em que sentido isso é importante para nós?”.Continuar…

O problema da consciência: Parte I

COM O QUE ESTAMOS LIDANDO?   Em tempos recentes tenho pensado sobre um dos tópicos mais enigmáticos do debate intelectual contemporâneo. Este é o chamado problema difícil da consciência, que é de fato tão importante quanto enigmático. O problema é o seguinte: por que e como certos eventos cerebrais são dotados deContinuar…

Qual deve ser a função da moralidade

    Percebi em minha última publicação que muitos filósofos morais de inclinação científica sugerem que a moralidade deve aspirar objetivos utilitários (maximizando o bem-estar para o maior número de pessoas/seres). Também notei que embora o utilitarismo soe como um grande princípio, na prática é irrealista e particularmente inútil para gerenciar aContinuar…