Autor: Marcus Vinicius M. Escobar

Psicólogo, guitarrista e cinéfilo.

Cooperação e cognição distribuída

  Não é novidade para quem tem alguma familiaridade com psicologia cognitiva o fato de as pessoas não serem lá tão racionais. É verdade que a humanidade produziu verdadeiras forças da natureza, como Newton e Bach. Mas de uma perspectiva mais geral, e menos apaixonada, a verdade sobre nós éContinuar…

Irracionalidade onipresente

  Uma das mais importantes lições que a psicologia nos deu, senão a mais importante, é esta: a ignorância é nosso estado natural por direito. É o produto direto de como nossa mente trabalha. São toneladas de experimentos realizados no correr das últimas décadas confirmando de forma exaustiva que asContinuar…

O pensamento e seus vícios

  A proverbial afirmação de que o homem é um animal racional não pode ser levada tanto a sério. Já a afirmação  de que errar é humano não poderia ser mais verdadeira. Indo direto ao ponto, nossa característica mais peculiar não é — ora vejam! — a racionalidade, mas a crendice! SomosContinuar…

Pós-verdade e a era da (des)informação

  A palavra da vez é “pós-verdade”. O substantivo foi eleito pela Oxford Dictionaries como a palavra do ano de 2016. Trata-se de um neologismo para a situação em que fatos e análises especializadas têm menos influência na formação da opinião pública do que o apelo a emoções, a crendices pessoaisContinuar…

Crença, emoção e identidade: por que reagimos mal a refutações?

  Uma característica curiosa de nossa mente é sua formidável aptidão para ignorar provas que porventura refutam nossas crenças. Mas a mente humana é gananciosa. Não se contenta em preservar crenças valiosas suprimindo contraprovas. Para garantir a perpetuação de uma crença nossa mente a faz reluzir com ainda mais ímpetoContinuar…

Um duelo entre crenças e fatos: o efeito backfire

  Aparentemente, o jeito mais promissor de corrigir crenças defeituosas é apresentar contra elas evidências diretas. Curiosamente, não é o que sempre acontece. Na verdade, raramente acontece. Aliás, não apenas raramente acontece como existe uma grande probabilidade de que um indivíduo se apegue ainda mais fervorosamente a uma crença quandoContinuar…

Qual deve ser a função da moralidade

    Percebi em minha última publicação que muitos filósofos morais de inclinação científica sugerem que a moralidade deve aspirar objetivos utilitários (maximizando o bem-estar para o maior número de pessoas/seres). Também notei que embora o utilitarismo soe como um grande princípio, na prática é irrealista e particularmente inútil para gerenciar aContinuar…

A psicologia social de uma nação dividida

  Por décadas os psicólogos sociais têm demonstrado que nossos sistemas de percepção social estão recheados de vieses e erros. Tendemos a superestimar as características particulares dos outros como base para avaliar suas conclusões (Ross, 1977), a tratar membros de grupos artificialmente diferentes do nosso de modo negativo (Billig &Continuar…

O que é e como funciona nossa voz interior: a ciência da fala subjetiva

  Consegue escutar uma voz dentro da sua cabeça enquanto lê estas palavras? Digo, pode ouvir esta frase enquanto faz a sua leitura? É quase certo que a resposta seja positiva. De acordo com um estudo recente conduzido por Ruvanee Vilhauer, e publicado no Psychosis, é provável (embora não conclusivo devido à metodologia não convencionalContinuar…