A contingência da Economia de Fichas: Parte II

Aqui apresentamos a continuidade da explicação sobre o método de intervenção contingencial, conhecido como Economia de Fichas, que foi iniciada no texto “A Contingência da Economia de Fichas Parte I”, que você pode acessar aqui.   Para fazer as fichas são necessárias cartolinas de três cores diferentes, cortadas em quadradosContinuar…

Sexo

  O poeta Philip Larkin celebremente proclamou que o sexo começou em 1963. Ele foi inexato por volta de 800 milhões de anos. Além disso, o que começou nos anos 1960 foi, antes, uma campanha para banir o sexo — em particular, diferenças de sexo — em favor ao gênero.Continuar…

Memória – parte 3: integrando experiências

  O assunto deste texto é a memória de trabalho, ou memória operacional, como também é conhecida. Em primeiro lugar, precisamos fazer uma distinção entre a memória de trabalho e a memória de curto prazo, do modelo dos três receptáculos. As informações contidas na memória de trabalho podem ter sidoContinuar…

Duas visões opostas nas neurociências

  Na história das pesquisas em neurociência, destacam-se duas formas opostas de entender a relação entre o cérebro e como as pessoas pensam, sentem e se comportam. A primeira delas é a visão localizacionista, que entende que as funções psicológicas encontram-se em determinadas áreas do cérebro, que existiriam centros paraContinuar…

Memória – parte 2: níveis de processamento

  Alguns psicólogos cognitivistas se afastaram do modelo dos três receptáculos. Uma das alternativas foi enfatizar como a codificação da informação influencia no armazenamento e na evocação. Nesse sentido, o processamento de uma informação poderia ser feito em diferentes níveis de profundidade. O experimento clássico que apoiou essa visão foiContinuar…

Memória – parte 1: armazenando experiências

  A forma como agimos e pensamos é modificada o tempo todo pelo contato que temos com nós mesmos, com o mundo e com as outras pessoas. Essa mudança decorre da aquisição de conhecimento proporcionada pelas experiências: a isso damos o nome de aprendizado. A memória, por sua vez, éContinuar…

A consciência é irredutível

  Em A Redescoberta da Mente, John Searle fornece argumentos contra a tentativa de reduzir a consciência a meros fenômenos físicos. O autor começa por retomar o argumento do texto “what is like to be a bat”, de Thomas Nagel. A ideia central é que, embora tenhamos o conhecimento daContinuar…

Dormir para esquecer ou dormir para se lembrar?

  Quando o assunto é neurociência, poucas coisas são mais intrigantes do que o papel do sono. Dentre as suas várias funções, destacam-se as relacionadas à memória. O sono REM (rapid eye movement) ou sono paradoxal foi descrito em 1953 e desde então cientistas têm imaginado qual seria sua funçãoContinuar…

Serotonina, dopamina, noradrenalina: o humor é química?

Existe atualmente uma relação entre estados de humor e conhecidos neurotransmissores como a serotonina, dopamina e noradrenalina, chamados de monoaminas. É comum ler em revistas populares de divulgação científica que alimentos, como por exemplo o chocolate, “melhoram” o humor por aumentar a concentração destes neurotransmissores no cérebro. Já o exercícioContinuar…